(Aprovado na Assembleia Geral de 01/Outubro/2009)

As actividades promocionais da Associação Portuguesa do Veículo a Gás Natural mantiveram-se ao longo do exercício de 2008, bem como a elaboração de estudos técnicos e económicos para os seus associados.

A alta excepcional do preço do petróleo verificada no Verão de 2008 (atingiu os US$147/barril), pareceu redobrar o interesse pela solução dos VGNs. No entanto, a baixa que se seguiu no segundo semestre arrefeceu o aparente entusiasmo pois tudo pareceu voltar ao considerado “normal”. Verifica-se, como matéria de facto, que a consciência do Pico Petrolífero ainda é incipiente entre os operadores económicos em Portugal.

Do ponto de vista mundial, constata-se que os VGNs continuaram a progredir no mundo todo e o número total de VGNs em circulação atingiu a marca histórica dos 10 milhões. Na Europa, onde os Estados mais lúcidos têm políticas favoráveis ao desenvolvimento dos VGNs, o número de postos de abastecimento de gás natural comprimido (GNC) aumentou consideravelmente, numa proporção até superior ao do aumento do número de VGNs. Isto tem lógica pois a oferta de GNC em postos de serviço público deve preceder a generalização dos VGNs. A Europa ensina assim o caminho a Portugal.

O trabalho da Associação desenrolou-se ininterruptamente ao longo do exercício todo. Dentre as actividades realizadas em 2008 destacam-se as seguintes:

  • Aula no Instituto Superior de Ciências Sociais e Política (ISCP), sobre política energética e de transportes, Jorge Figueiredo, 15/Janeiro
  • Participação na reunião de Madrid para o lançamento da nova associação europeia de veículos a gás natural, Henrique Marques dos Santos e Jorge Figueiredo, 29-30/Janeiro
  • Visita à fábrica de reservatórios criogénicos da Indox, em Leida (Catalunha), Henrique Marques dos Santos e Jorge Figueiredo, 31/Janeiro
  • Entrevista à RTP 2, realizada nas instalações da Carris, JF, 04/Janeiro
  • Participação na Comissão de Qualidade do Ar da CCDRN, Porto, JF, 08/Fevereiro
  • Reunião com a Auto-Europa, JF, 12/Fevereiro
  • Assessoria à Amagás em reunião de trabalho com o responsável do aterro sanitário do Cadaval, JF, 14/Fevereiro
  • Intervenção no VI Congresso da Associação Nacional dos Produtores de Milho e Sorgo, Jorge Figueiredo, 21/Fevereiro
  • Reuniões diversas com a Câmara Municipal de Loures relativas à instalação de dois postos GNC no município.
  • Reunião com a Comissão de Energia da Assembleia da República, 25/Março
  • Aula no Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL) acerca de política energética e de Transportes, Jorge Figueiredo, 09/Abril
  • Reunião com o Presidente em exercício da Câmara Municipal de Rio Maior, JF, 18/Abril
  • Reunião com a Direcção de Combustíveis da DGGE, 28/Abril
  • Intervenção sobre política de transportes em seminário organizado pela Logistel, Jorge Figueiredo, 24/Junho
  • Reunião com o presidente da Galileo argentina, JF, 27/Junho
  • Entrevista à Rádio Seixal, JF, 01/Julho
  • Entrevista à TV Net, JF, 02/Julho
  • Reunião com o Comité Executivo da Comissão para as Alterações Climáticas, JF, 07/Agosto
  • Participação em exposição de veículos ecológicos realizada junto ao Mosteiro dos Jeronimos, Lisboa, 20-22/Setembro
  • Visita à Feira Industrial de Hannover a convite da Fiat (lançamento das versões a gás natural do Fiorina e do Ducato), JF, 25-26/Setembro
  • Intervenção em evento promovido pela Lipor, em Gondomar, JF, 26/Novembro
  • Numerosas reuniões ao longo do ano com empresas detentoras de frotas, JF
  • Várias reuniões com técnicos da Carris para preparação de case study a ser apresentado na Conferência da International Gas Union, a realizar-se em Buenos Aires em Outubro/2009

Ao longo do ano a APVGN apoiou os seus associados nas solicitações que lhe fizeram e atendeu a inúmeros pedidos de informação efectuados pelas mais diversas entidades.

Por outro lado, o sítio web da APVGN, http://www.apvgn.pt, continuou a ser actualizado regularmente ao longo do ano e em 31 de Dezembro de 2008 as estatísticas do servidor onde está alojado registaram o número total de 53.449 visitantes únicos e um número de visitas de 65.564. As referidas estatísticas registaram, em 2008, 773.980 hits e uma largura de banda de 14,83 Gbytes.

Em 2008 aumentou quantitativamente a base associativa da APVGN, que em 31 de Dezembro contava com 23 entidades associadas, além de vários sócios individuais.

EVOLUÇÃO PREVISÍVEL DA ASSOCIAÇÃO

Em 2009 a Administração da APVGN tenciona continuar a participar de todas as iniciativas destinadas a instalar postos públicos de abastecimento de GNC. Esta continua a ser uma preocupação prioritária da Associação, pois a inexistência de postos públicos é praticamente o único obstáculo para o desenvolvimento dos VGNs em Portugal. A APVGN considera que a cedência de terrenos a empresários privados que se disponham a instalar postos GNC seria o melhor meio de os municípios atingirem este objectivo.

Por outro lado, a APVGN tenciona manter a “visibilidade” possível da Associação – apesar de não dispor de orçamento para publicidade. Isso será feito, tal como até agora, aproveitando as oportunidades que surgirem para intervir em eventos públicos e nos media genéricos e especializados.

A mudança do escritório da APVGN para o edifício do IPTRANS, em Loures, contribuiu um pouco para a redução dos custos de funcionamento da Associação, mas esta redução não é suficiente e terão de ser efectuados novos cortes nos custos de funcionamento.

Em 2008 verificou-se a substituição da European Natural Gas Vehicle Association (ENGVA) pela Natural Gas Vehicle Association-Europe (NGVA-Europe). A APVGN participou, em Madrid (H. M. Santos e J. Figueiredo), da reunião de preparatória para o lançamento da NGVA-Europe e tenciona aderir à mesma logo que as condições financeiras o permitam. O mesmo se passa em relação à International Association for Natural Gas Vehicles (IANGV) pois a APVGN foi obrigada a declinar um convite para integrar-se à mesma

RESULTADOS

A APVGN tem conseguido manter-se graças sobretudo à contenção dos seus custos de funcionamento. As remunerações dos seus colaboradores permanentes, nomeadamente, nunca foram aumentadas desde a sua constituição em 2001. Assim, do ponto de vista financeiro, verifica-se, através do Balanço, uma situação equilibrada pois as responsabilidades encontram-se garantidas pelas disponibilidades. O activo é constituído por 6% de imobilizado, 41% de dívidas de terceiros e 49% de disponibilidades, ao passo que o passivo reflecte essencialmente os subsídios à exploração já recebidos mas ainda não afectados à actividade, praticamente não existindo dívidas a terceiros.

Deve-se destacar que desde a constituição da APVGN o valor das quotas dos associados nunca sofreu qualquer aumento – apesar da inflação verificada no período 2001-2008. O Conselho de Administração considera que, enquanto for possível, esta política será de manter e que o aumento dos recursos financeiros da Associação deveria passar sobretudo pelo aumento da sua base associativa.

No plano económico a Associação apresenta custos no valor de € 49.653 que foram cobertos com quotizações dos associados, facturação de serviços prestados, juros obtidos de depósitos bancários e pela afectação de subsídio à exploração. Assim, e depois de constituída uma dotação para amortizações no valor de € 698, o resultado líquido do exercício apurado foi de € 175,20, o qual propomos à Assembleia-Geral seja transferido para a conta de Resultados Transitados.

 

INCRYGAS, representada pelo Eng. Henrique Marques dos Santos (Presidente)

Eng. Téc. Gregório Laranjo (Vice-Presidente)

Lic. Jorge F. G. de Figueiredo (Vice-Presidente)

STCP, S.A., representada pelo Eng. Jorge Manuel Rocha Teixeira (Vice-Presidente)

VALORSUL, S.A., representada pelo Eng. Tomás Serra (Vice-Presidente)
(em substituição do Eng. José Escada da Costa)

Eng. Luís Gomes Pereira (Vice-Presidente)

GALP GÁS NATURAL, S.A., representada pelo Eng. José Costa Pereira (Vice-Presidente)
(em substituição do Dr. Nuno Moreira da Cruz)