Exercício de 2016

RELATÓRIO DE GESTÃO – 2016

As actividades da Associação Portuguesa do Veículo a Gás Natural desenvolveram-se de modo regular no exercício de 2016.

Em 31 de Dezembro de 2016 a base associativa da APVGN contava com 23 entidades associadas, além de numerosos sócios individuais. Deve-se registar a saída de três empresas associadas e, em contrapartida, a entrada de três novos associados empresariais: a Elveso, a Prova Impar e os Transportes Colectivos do Barreiro. A adesão dos TCB, em particular, é motivo de grande satisfação pois esta empresa arrancou com um importante projecto de transformação para VGNs de toda a sua frota de 60 autocarros, projecto que contou com a colaboração da APVGN. Quanto aos associados individuais, o seu número mantém-se aproximadamente constante com a saída de alguns e entrada de outros.

No fim de 2016 foi dado um passo decisivo para o bom funcionamento da APVGN: o arrendamento de um escritório em Lisboa (Rua Conde de Almoster, 50 – r/c Esq.). Já há vários anos, desde que teve de abandonar as instalações de Loures no Instituto Português dos Transportes, a Associação vinha funcionando em condições precárias por ausência de local de trabalho adequado.

Dentre as actividades realizadas em 2016 deve-se destacar a já mencionada colaboração com os TCB no projecto dos autocarros e posto de abastecimento, bem como duas tomadas de posição públicas acerca de assuntos candentes:
 O comunicado de imprensa “Os desvarios da Quercus”, em 12/Março/2016
 O comunicado “Discriminação negativa gás natural veicular”, em 20/Dezembro/2016

Por outro lado, em Agosto de 2016 a APVGN apresentou no Instituto de Mobilidade e Transportes (IMT) o seu “Curso de mecânico de GN”. Este curso, previsto para 118 horas, foi elaborado pelo Eng. Domingos Bastos, da LTA, em conjunto com a APVGN. O curso cumpre as exigências estabelecidas na Deliberação 2062/2015 do IMT. No âmbito desta iniciativa, Jorge Figueiredo fez o curso de formação de formadores (90 horas), em horário extra-laboral, a fim de obter o respectivo certificado (CAP).

Durante o exercício o vice-presidente da APVGN continuou a colaborar regularmente na revista Pós Venda Pesados. A APVGN continuou também a atender pedidos de esclarecimento de interessados em VGNs.

O sítio web da APVGN (http://www.apvgn.pt) continuou a ser actualizado de modo regular e em 31 de Dezembro de 2016 as estatísticas do servidor onde está alojado registaram o número total de 23.118 visitantes únicos e um número de visitas de 33.810. As referidas estatísticas registaram, em 2016, 1.506.711 hits (+24,9% que em 2015) e uma largura de banda de 710,35 GB.

Por sua vez, em 2016 a página do Facebook da APVGN (https://www.facebook.com/apvgn), manteve uma dinâmica de três a quatro inserções de notícias por semana. No fim do ano a página já tinha 400 seguidores, provenientes de Portugal e de muitos outros países. O seu alcance em média é de 233 pessoas por dia, com tendência de crescimento progressivo. O maior público é de Portugal, vindo a seguir o Brasil. Verifica-se que 21% do público é constituída por mulheres e 78% por homens. A faixa etária predominante é dos 38 aos 44 anos, vindo a seguir a dos 45-54 anos. A APVGN continua a considerar que a página do Facebook substitui com vantagem e menor custo a sua antiga revista em papel.

Numa perspectiva global, verificou-se que o parque mundial de VGNs continuou a crescer de modo sustentado, atingindo os 22 milhões de unidades abastecidas em 26,6 mil postos. Na Europa, vários governos continuaram a desenvolver políticas activas em prol dos VGNs, nomeadamente através do apoio à instalação de postos públicos de abastecimento de GNC e da promoção de investimentos para a produção de biometano. No entanto, em Portugal esses apoios continuaram escassos e enviesados. Exemplo disso é o programa POSEUR, que não permite aos postos financiados por si que funcionem em regime de serviço público. Apesar disso, em 2016 avançou-se com a instalação de novos postos GNL e GNC, tendo sido inaugurados novos em Elvas/Caia, Matosinhos e Carregado.

EVOLUÇÃO PREVISÍVEL DA ASSOCIAÇÃO

Para a APVGN constitui motivo de satisfação a manutenção das frotas de VGNs da STCP e da Carris, as quais em certo momento pareceram ameaçadas devido às tentativas de privatização. A manutenção das mesmas está a ser possível graças ao pequeno financiamento do POSEUR, o qual cobre uma percentagem do sobrecusto dos autocarros.

RESULTADOS

Em 2016 a APVGN manteve a contenção dos seus custos de funcionamento. Apesar das dificuldades, em termos de Balanço conseguiu-se manter um equilíbrio pois as responsabilidades estão garantidas pelas disponibilidades. O activo em 31/Dezembro/2016 era constituído por 61.189,86€; 0,02% de imobilizado, 57,30% de dívidas de terceiros e 42,68% de disponibilidades, ao passo que o passivo é constituído, essencialmente, pela rubrica de Outros Passivos Correntes, que integra 26.499,01€ de honorários a liquidar, não existindo praticamente dívidas a terceiros.

No plano económico a Associação apresentou custos no valor de 37.256,58€ que foram cobertos com quotizações dos associados, 33.005,00€. Assim, o resultado líquido apurado no exercício foi de 574,43€ o qual propomos à Assembleia-Geral seja transferido para a conta de Resultados Transitados.

Eng. Jorge Manuel Quintela de Brito Jacob (Presidente)
Lic. Jorge Fidelino Galvão de Figueiredo (Vice-Presidente)
Eng. Luís Gomes Pereira (Vice-Presidente)
Eng. José Costa Pereira (Vice-Presidente)
Paulo Rui Ferreira (Vice-Presidente)
José Manuel Núncio Gabriel Pedroso (Vice-Presidente)